24 de agosto de 2011

Elimine a raiva da sua vida...


Toda adversidade, toda circunstância desagradável, todo fracasso e toda dor física carregam consigo a semente de um benefício equivalente.
Napoleon Hill

Quero hoje conversar sobre algumas situações que acontecem muitas vezes conosco e acaba influenciando na forma como levamos ao final o nosso dia.


Imagine uma situação que você tenha se envolvido e isso tenha provocado em você um sentimento de RAIVA !


Como será seu dia, movido por esse sentimento, pelo fato, por um objeto, ou mesmo uma pessoa, que tenha provocado isso?


Que tal, começar o dia de hoje sem raiva ?


Então preste atenção neste texto magnífico, escrito por (S.S. o Dalai Lama):


Na vida deve haver um equilíbrio entre o progresso espiritual e o material, e a raiva não podem ser superados pela raiva.


Quando uma pessoa tiver um comportamento agressivo com você e a sua reação for semelhante, o resultado será desastroso.


Ao contrário, se você puder se controlar e tomar atitudes opostas "compaixão, tolerância e paciência", não só se manterá em paz, como a raiva do outro diminuirá gradativamente. Da mesma maneira, os problemas mundiais não podem ser solucionados pela raiva ou pelo ódio. Sentimentos como esses deveriam ser enfrentados com amor, compaixão e bondade.


Pense em todas as terríveis armas que existem, mas que, por si mesmas, não podem iniciar uma guerra. Por trás do gatilho há um dedo, movido pelo pensamento, não por sua própria força.


A responsabilidade permanece em nossa mente, de onde se comandam as ações. Portanto, controlar em primeiro lugar a mente é o mais importante. Não estou falando de meditação profunda, mas apenas de cultivar menos raiva e mais respeito aos direitos do outro. Ter uma compreensão mais clara da nossa igualdade como seres humanos.


Ninguém quer a raiva, ninguém quer a intranquilidade, mas por causa da ignorância somos acometidos por sentimentos como esses. A raiva nos faz perder uma das melhores qualidades humanas, o poder de discernimento.


Temos um cérebro bem desenvolvido, coisa que outros animais não têm. Esse órgão nos permite julgar o que é certo e o que é errado.


Não apenas em termos atuais, mas em projeções para daqui dez, vinte ou mesmo cem anos. Sem nenhum tipo de pré-cognição, podemos utilizar nosso bom senso para determinar o certo e o errado. Imaginar as causas e seus possíveis efeitos.


Contudo, se nossa mente estiver ocupada pela raiva, perderemos o poder de discernimento e nos tornaremos mentalmente incompletos.


Devemos guardar essa capacidade e, para tanto, temos de criar uma companhia de seguros interna: autodisciplina, autoconsciência e uma clara compreensão das desvantagens da raiva e dos efeitos positivos da bondade.


Se refletirmos a respeito dessas questões com frequência, podemos incorporar a ideia e, então, controlar a mente.


E então, , você acredita que após esta reflexão, poderia ter mais esperança de um mundo melhor e com menos RAIVA?


Por isso deixo de lado todo sentimento ruim, para sempre lhe desejar um Bom Dia Hoje e fazer do nosso dia um excelente dia de PAZ!


Pense nisso e viva sua vida sem Raiva... 


(Sigmar Sabin)

2 comentários:

Carmem disse...

Carlos...

A raiva não deveria ter espaço no coração do homem... Mas infelizmente este sentimento existe no corção de muitos!...
Sempre postando textos reflexivos!
Muito bom!...
Bju
"Persistir na raiva é como apanhar um pedaço de carvão quente com a intenção de o atirar em alguém. É sempre quem levanta a pedra que se queima"...
Buda

Rosangela Ferreira disse...

Carlos,gostei muito da sua postagem sobre a Raiva....Portanto, resolvi pesquisar ainda um pouco mais para saber como lidar com este sentimento difícil de se controlar e muitas vezes tão devastador!!Parabéns amigo!! Você sempre brilhando!!

"Raiva é um sentimento de protesto, insegurança, timidez ou frustração, contra alguém ou alguma coisa, que se exterioriza quando o ego se sente ferido ou ameaçado.Sempre que a raiva se apodera de nós, nossa atenção fica focada na pessoa que a causou. Nesse caso, é difícil sair da raiva.
Quando alguém provocar raiva em você, esqueça a pessoa imediatamente e concentre-se naquele a quem a raiva está acontecendo.
E comece a olhar para dentro – para aquilo que está acontecendo dentro! Não reprima. Permita completa liberdade ao que estiver acontecendo. Feche-se no seu quarto e mergulhe totalmente no que está acontecendo. É melhor ver o que está acontecendo, da forma mais clara possível.
Se a raiva vocifera dentro, grite, berre, pule, fale, murmure, faça o que lhe aprouver. Feche as portas e observe a sua própria loucura em sua inteireza, pois os outros já a testemunharam muitas vezes. Só você que não viu; os outros já se divertiram às suas custas. Você só toma ciência quando a coisa acabou, quando o fogo se foi e só restaram as cinzas.

Por Elisabete Cavalcante

Grande abraço e toda a felicidade do mundo, pra vc!!